A Cerâmica Gresca é mais 
uma empresa do

Rua Margarida Ferrari Scapinelli, 220
Bairro Engordadouro - Jundiaí – SP / CEP: 13.214-669
(11) 4582.1100 / 4585-1700 - contato@gresca.com.br

Cadastre seu e-mail e receba nossas notícias:

Estruturando o sucesso do empreendimento

O projeto na alvenaria estrutural em blocos cerâmicos
A alvenaria estrutural em blocos cerâmicos é amplamente escolhida pelos arquitetos, engenheiros e
construtoras pela viabilidade desse sistema construtivo, uma vez que possui um processo rápido e
simplificado, além de minimizar gastos com recurso material e orçamento. Porém, para que o
empreendimento tenha êxito, é imprescindível elaborar, primeiramente, um adequado projeto
arquitetônico.
Nesse sistema, é preciso considerar muitos fatores, que vão desde as condicionantes locais do terreno
até o envolvimento de diversos profissionais nos procedimentos e processos de decisão. A seguir,
vamos explorar cada um desses importantes fatores, tão essenciais para a eficiência de um projeto para
construção de uma casa ou edificação em alvenaria estrutural com blocos cerâmicos.

 

Fatores que influenciam o projeto
A regra é básica e já sabida, mas é sempre bom lembrar que a presença de um profissional qualificado é
inegociável. Por lei, os projetos em alvenaria estrutural devem ser elaborados e executados por um
arquiteto ou engenheiro legalmente habilitado, com registro na categoria, de acordo com as normas e
exigências locais. Como o projeto trata de toda a base estrutural da construção, é importante que todos
os profissionais envolvidos participem da troca de informações, seja qual for o aspecto em questão:
estrutural, hidráulico, elétrico, incêndio, telefone, alarme, entre outros. Além disso, é fundamental
conhecer as condicionantes locais como terreno, clima, propriedades do solo, de encostas, etc. O
projetista deve considerar, também, as necessidades específicas de cada tipo de morador.
Na elaboração do projeto, deve-se fazer partido sobre a malha, procurando o máximo de simetria
possível entre as paredes estruturais. Vãos, portas e janelas devem ser devidamente compatibilizados
com as dimensões externas dos marcos e com o tipo de esquadria a ser utilizada (madeira, ferro ou
alumínio). Como a alvenaria estrutural não permite cortes posteriores de paredes estruturais, é preciso
dispor de shafts e considerar espaços para passagens das instalações hidráulicas e elétricas, estudando
as paredes que podem ser utilizadas somente como vedação, permitindo o embutimento de tubulações.
Com essas informações em mente e em prática, é possível criar um projeto de alvenaria eficiente,
econômico e seguro, garantindo as vantagens desse sistema estrutural.

 

Modulação: uma medida certa e necessária
O conceito de modulação pode ser definido pela ação de projetar a edificação com base em uma
unidade modular, identificada pelas medidas dos blocos. Quando tais medidas não são múltiplas, ocorre
a quebra da modulação, sendo necessário fazer uso de peças compensadoras para o ajuste das
paredes. O melhor projeto de construção em alvenaria com blocos cerâmicos é, portanto, aquele que
considera como base de cálculo unidades múltiplas das medidas dos próprios blocos, seguindo o padrão
modular para o adequado ajuste da planta arquitetônica.

 

Desta forma, a modulação é considerada uma das mais importantes partes de um projeto, pois garante a
racionalização de todo o processo produtivo de construção e proporciona um alto índice de produtividade
da obra, reduzindo o desperdício com ajustes e ou cortes de blocos. Quando uma modulação é
concebida de maneira adequada, ela produz efeito positivo em quase todas as fases posteriores a ela no
empreendimento, pois simplifica a execução do projeto, permitindo a padronização de materiais, de
procedimentos, de execução e, consequentemente, facilitando o controle da produção.
No próximo texto, iremos detalhar as medidas e famílias mais utilizadas, além de fornecer informações
sobre a primeira fiada na modulação horizontal. Até lá!

 

Fonte
– Melo Soluções em Alvenaria. Manual Técnico de Execução de Alvenaria Estrutural
Racionalizada em Blocos Cerâmicos, 2014.