A Cerâmica Gresca é mais 
uma empresa do

Rua Margarida Ferrari Scapinelli, 220
Bairro Engordadouro - Jundiaí – SP / CEP: 13.214-669
(11) 4582.1100 / 4585-1700 - contato@gresca.com.br

Cadastre seu e-mail e receba nossas notícias:

Definindo parâmetros e dimensões

Definindo parâmetros e dimensões

 

Modulação da alvenaria estrutural em blocos cerâmicos – Parte II

 

Em continuidade ao nosso último texto sobre modulação, vamos seguir abordando as famílias de blocos que racionalizam a alvenaria estrutural, permitindo relacionar as medidas de um projeto arquitetônico com as medidas dos blocos cerâmicos e demais componentes. Nesta etapa, é preciso determinar o posicionamento exato de cada bloco de uma parede, considerando as famílias modulares e incluindo, ao menos, a primeira e a segunda fiada com os meios de amarração entre as paredes.

 

Dentro de cada família modular, há informações específicas para o processo de cada bloco cerâmico, que iremos detalhar a seguir, com  informações técnicas e práticas para os projetistas. Afinal, a definição do tamanho dos blocos é de suma importância para a coordenação modular do projeto, sendo responsável por potencializar as vantagens da alvenaria estrutural.

 

Modulação Horizontal – Bloco 11,5 x 19 x 39

 

Este bloco é considerando uma boa alternativa para viabilização de edifícios de até dois pavimentos. A norma ABNT NBR 15812 de projetos em alvenaria estrutural de blocos cerâmicos não admite parede estrutural com espessura inferior a 14 cm para edificações com mais de dois pavimentos. Desta forma, o limite para uso desse bloco, desde que a esbeltez da parede seja menor ou igual a 24, são dois pavimentos em alvenaria não armada. Para a amarração direta das paredes no canto, é utilizado o bloco especial 11,5 x 19 x 31,5. Já nas paredes de encontro “T”, o bloco deveria ter as dimensões 11,5 x 19 x 51,5, mas como essa peça não é fabricada, o projetista deve trabalhar com amarração indireta nesse encontro.

 

Modulação Horizontal – Bloco 14 x 19 x 29

 

Esta modulação é, sem dúvida, a mais adequada e intuitiva, sendo fácil de projetar e executar. Nela, a largura dos blocos é metade do comprimento, e não é necessário utilizar peças especiais nos encontros de parede de canto. Nos encontros de paredes em “T” e em “Cruz”, é utilizado o bloco de amarração 14 x 19 x 44. Para modular os vãos com este bloco, é preciso ter uma planta já com as medidas modulares. As medidas internas serão sempre múltiplas de 15 cm + 1 cm e os vãos internos terão sempre medidas do tipo 2,41 m, 2,7 m, 3,01 m, etc.

 

Modulação Horizontal – Bloco 14 x 19 x 39

 

A modulação com esses blocos tem o inconveniente do comprimento não ser proporcional à largura do bloco. Para a amarração direta nos cantos, é necessário o uso de um bloco de 14 x 19 x 34, e para a amarração direta no encontro “T”, utiliza-se o bloco 14 x 19 x 44. Essa solução pode ser aplicada para prédios, desde que, no dimensionamento do projeto, o calculista tenha verificado a possibilidade de trabalhar com argamassa de assentamento apenas nas paredes longitudinais dos blocos.

 

Modulação Vertical

 

A modulação vertical é bastante simples. Basta decidir pela aplicação do módulo de 20 cm nas situações piso a teto ou piso a piso. Para isso, é possível utilizar as canaletas normais “U” ou as canaletas compensadoras e canaletas jotas, variando conforme as alturas das lajes acabadas.

 

Muitos profissionais e clientes preocupam-se com o uso e evolução da obra no futuro, considerando abrir uma porta, derrubar uma parede para ligar a sala com um dormitório, etc. Isso é possível, desde que na fase de projeto sejam escolhidas algumas paredes chamadas vedação. O próximo texto vai tratar do encontro entre a alvenaria estrutural e de vedação. Continue nos acompanhando!

 

Fonte

  • Melo Soluções em Alvenaria. Manual Técnico de Execução de Alvenaria Estrutural Racionalizada em Blocos Cerâmicos, 2014.